Li, e ai?: A Máquina de Fazer Espanhóis

Uma das minhas últimas leituras foi daquelas surpresas maravilhosas que enchem nosso coração de alegria, sabe? A Máquina de Fazer Espanhóis recheou minha lista de indicados por muito tempo (né, Tamy?) e eu sempre deixava “para depois”. Não por ausência de crédito a quem me recomendava, mas principalmente pela obsessão em comprar livros em promoção! #mãodevaca

Eis que ganhei um exemplar lindo e super bem caprichado da edição da CosacNaify de amigo secreto e não tinha mais desculpas para fugir. Comecei a ler despretensiosamente e quando notei estava agarrada a ele com unhas, dentes e mente.

Me apaixonei pelo livro, pela construção da história, pelo senhor Silva – protagonista deste livro lindo!

Foram mil corações nascendo a cada nova página lida.

Valter Hugo nos transporta para mais a frente da nossa vida, onde nunca conseguimos nos enxergar de verdade – afinal, olhar para o passado é muito mais fácil do que olhar para frente, não é? Ao menos no quesito idade – e traz uma visão inspiradora a respeito da “melhor idade” e o enfrentamento de nossos medos após uma vida inteira de memórias e histórias.

A Máquina de Fazer Espanhóis ganhou um lugar dentre os favoritos, sem dúvida. E recomendo sem pestanejar!

Quer saber mais sobre a história e minha opinião? Vem dar o play para ficar curioso ;D