Li, e ai? Especial: Trilogia Divergente

divergente

Como não é segredo para ninguém, eu adoro distopias. É quase uma atração instantânea que me leva até essas obras, e esse foi o caso com DIVERGENTE. Em um momento onde precisava de uma desculpa para realizar uma nova comprinha literária, inventei que precisava ler em inglês e fui atraída por essa capa com fogo, brilhosa e, bom, com um enredo distópico.

Para quem não sabe, DIVERGENTE passa-se em uma Chicago futurista onde a sociedade separa-se em cinco facções: Amity, Abnegation, Erudite, Candor e  Dauntless. Aos dezesseis anos (sempre aos dezesseis!), os jovens passam por um exame que determina a qual destes grupos eles realmente pertencem. E é exatamente poucos dias antes deste derradeiro momento em que começamos a acompanhar Breatice, uma menina que vive em Abnegation. 

A trilogia é composta também por INSURGENTE CONVERGENTE (Allegiant), cheios de reviravoltas – algumas inesperadas, outras nem tanto.

Com uma escrita simples, é um bom livro para se treinar a leitura em inglês e passar o tempo. Há grande potencialidade para a história, que constrói-se e desconstrói-se de formas interessantes por vezes, mas peca por falhas no enredo em outros. Quer saber toda a minha opinião e o que achei da série toda?

Só dar o play ai embaixo e conferir minha opinião.